O desafio de amar – dia 33º – o amor completa um ao outro

Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só como se aquentará? – Eclesiastes 4: 11

Deus cria o casamento com um homem e uma mulher e os faz um. E apesar do amor estar disposto a agir sozinho, se necessário, é sempre melhor quando essa performance não é solitária.

Amor pode agir sozinho se não houver outra maneira, mas existe um “caminho sobremodo excelente” (1 Coríntios 12:31). O amor nos desafia a não parar de amar até que se alcance esse caminho.

Esse aspecto “complementar” do amor foi revelado à humanidade desde o princípio.

Deus deu origem à raça humana com um macho e uma fêmea – ambos parecidos mas com aspectos que completam um ao outro criados para viverem em harmonia.

Nosso corpo é feito um para o outro. Nossa natureza e temperamentos fornecem equilíbrio, nos capacitando a cumprir nossas tarefas de forma mais eficiente. A nossa união pode gerar filhos, e o nosso trabalho em equipe pode conduzi-los melhor a uma vida saudável e à maturidade. Onde um é fraco, o outro é forte. Quando um precisa construir algo, o outro está preparado para ajudar e encorajar.

Multiplicamos a alegria um do outro e dividimos nossas tristezas.

A Bíblia diz, “Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Pois se caírem, um levantará o seu companheiro; mas ai do que estiver só, pois, caindo, não haverá outro que o levante” (Eclesiastes 4:9-10). É como as suas mãos, que não apenas vivem juntas mas multiplicam a eficiência uma da outra. Com o objetivo de fazerem o que fazem, nenhuma das duas é totalmente completa sem a outra.

Embora as nossas diferenças sejam frequentemente a fonte do desentendimento e do conflito, elas foram criadas por Deus e podem ser bênçãos infinitas se nós as respeitarmos.

Um de vocês pode cozinhar melhor, por exemplo, enquanto o outro é mais eficiente lavando a louça. Um pode ser mais gentil e capaz de manter a paz entre os membros da família, enquanto o outro lida com a disciplina mais direta e efetivamente. Um pode ter uma boa mente para os negócios, mas precisa do outro para ajudá-lo a ser generoso.

Quando aprendemos a aceitar essas diferenças em nosso cônjuge, podemos contornar a crítica e estar prontos para ajudar e apreciar um ao outro.

Mas alguns parecem não estar dispostos a superar as diferenças de seu (sua) companheiro (a). E, como resultado, eles perdem muitas oportunidades. Eles não se beneficiam da singularidade que faz cada um deles mais eficiente quando inclui o outro.

Um exemplo da Bíblia a esse respeito é Pôncio Pilatos, o governador romano que presidiu o julgamento de Jesus. Sem ter ciência de quem era Cristo e contrariando a sua própria opinião, ele permitiu que a multidão o influenciasse a condenar e crucificar Jesus.

Porém, a única pessoa que estava mais sensível ao que estava acontecendo era a esposa de Pilatos, que chegou a ele no auge do alvoroço e o advertiu de que estava cometendo um erro. “E estando ele assentado no tribunal, sua mulher mandou dizer-lhe:

Não te envolvas na questão desse justo, porque muito sofri hoje em sonho por causa dele” (Mateus 27:19).

Ela era aparentemente uma mulher de discernimento apurado que captou a magnitude desses eventos antes de seu marido. Certamente, a soberania de Deus estava em ação, e nada teria livrado Seu Filho de ir obedientemente à cruz por nós. Contudo, a rejeição de Pilatos à intuição de sua esposa revela um lado infeliz da natureza do homem que é constantemente ocultado. Deus fez as esposas para completarem seus maridos, e Ele muitas vezes dá a elas discernimento que seu marido não tem. Se esse discernimento é ignorado, a decisão do homem, na maioria das vezes, causa problemas.

A eficiência do seu casamento depende dos dois trabalhando juntos.

  • Você tem alguma decisão importante a tomar sobre finanças ou plano de aposentadoria?
  • Você está enfrentando um sério problema com um colega de trabalho?
  • Está cada vez mais difícil lidar com ele? Você está lutando para saber que atitude tomar?
  • Você está absolutamente convencido que as escolhas educacionais para seus filhos são as corretas, não importando o que seu cônjuge pense?

Não tente analisar tudo por você mesmo. Não desqualifique o direito dele de opinar em questões que dizem respeito a ambos. O amor entende que Deus uniu vocês com um propósito. E mesmo que você acabe discordando das perspectivas do seu cônjuge, ainda assim você deve respeitar e levar em consideração a visão dele. Isto honra o plano de Deus para seu relacionamento e protege a unidade que Ele intenciona. Juntos, vocês são melhores do que sozinhos. Vocês precisam um do outro. Vocês se completam.

DESAFIO DE HOJE:

Reconheça que o seu cônjuge é essencial para um futuro de sucesso. Faça-o saber hoje que você deseja incluí-lo em suas próximas decisões, e que você precisa do seu conselho e ponto de vista. Se você ignorou as ideias dele no passado, admita seu descuido e peça-o para perdoá-lo.

Quais decisões futuras vocês podem tomar juntos? O que você aprendeu hoje a respeito do papel do seu cônjuge?

Revesti-vos do amor, que é o vínculo da perfeição. (Colossenses 3: 14)

ADICIONE UM COMENTÁRIO ABAIXO DE COMO FOI O 33º DIA

[ARForms id=101]